terça-feira, 6 de novembro de 2007

DESPEDIDA DE SOLTEIRO - PARTE 1

Despedida de solteiro é sinônimo de orgia, bebedeira, loucuras em escala faraônica. É Sodoma e Gomorra elevada as últimas consequências.
Sendo assim, a despedida de solteiro do meu amigo Plínio tinha tudo para ser das melhores. Nos reunimos no horário combinado, empilhamos as malas no carro (cheias de Cds e latinhas de cerveja), ajeitamos as compras (picanha e mais cerveja) e ficamos ali, aguardando o Kabello (um dos organizadores da balada).
Meia hora depois, ele chegou trazendo um misterioso embrulho nas mãos.
– Que porra é essa, Kabello? Perguntei curioso.
– Adivinha?
– Mais cerveja? Respondi.
– Revista de mulher pelada? Respondeu o Jorge, categórico.
– Algo ilegal que pode levar todos nós pra cadeia? Respondeu o Plínio num misto de medo e felicidade.
Então, o kabello estufou o peito, abriu um baita sorriso e com um brilho nos olhos, falou todo orgulhoso.
– Nada disso, meninos…é um bolinho de cenoura com chocolate que minha mãe fez!!!”
Ficamos estarrecidos e em silêncio por alguns minutos. Passado o choque, entramos no carro convictos de que, depois dos trinta e poucos anos de idade, as despedidas de solteiro jamais seriam como antigamente.
Com essa certeza em mente, partimos rumo a nossa louca aventura…claro, saboreando generosos pedaços de bolo de cenoura com cobertura de chocolate.

4 comentários:

Ana Paula disse...

Oi, MH!
Sabe, eu já tinha vindo aqui antes. Semana passada. Tinha lido a indicação de alguém lá no blog do Gasta. Gostei muito.
Adorei o DNA do MH, e ia comentar que finalmente achei alguém tão chato (sorry, hahahaha!) quanto eu, mas não achei que ia ser uma atitude muito simpática!rs
E tem mais... Coca Zero é tudo de bom, hein? rs

Depois dos trinta, nada mais é como antes. Mas umas coisas melhoram, né?

E bolo de cenoura com cobertura de chocolate? Tudo de bom!

Beijos, obrigada pela visita, vou voltar!

Gastón disse...

Meu velho, bolo de cenoura com cobertura de chocolate é droga pesada. Lícita, mas pesada. Se deixar por perto eu como uma travessa. E foi o que garantiu a dose de glicose depois de tanta cerveja. Foi ou não foi?

Ciça disse...

HAHAHAHAHA...Eu já conhecia esse texto lá do seu "blorkut". Mto bom!

MH disse...

Blorkut é genial, adorei.