sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

DA GUIA

Minha empregada se chama Da Guia.
Ela é uma nordestina meio porra louca.
Mais louca do que porra pra falar a verdade.
Dia desses cheguei em casa com minha mulher e encontramos
um bilhete da Da Guia, escrito num idioma bem parecido com o português
“Dona Elane, a ropa istá na máquina, ponha no varal pusquê não tive tempo de ponhá.”
Eu rolei de tanto rir…minha mulher ficou puta da vida e perdeu a noite de sono.
No dia seguinte, mal a Da Guia triscou o pé em casa, minha mulher voou na garganta dela.
- Olha aqui Da Guia, nunca mais deixe roupa na máquina de lavar, pois ontem eu cheguei 2 da manhã em casa
e não dá pra ficar pendurando roupa de madrugada.

A Da Guia olhou tranquilamente para ela, tirou os óculos, limpou as lentes e falou num tom de certa surpresa.

- Ochente, dona Elane, e eu lá vou advinhar a hora que a senhora vai chegar em casa????!!!!!!!!!

17 comentários:

Rharry Belloti disse...

Hahahah, que empregada que voc~e foi arrumar hein???

Seu blog tá muito organizado hein, a letra tá num tamanho legal, cores claras...beijo.

slim shady disse...

uhauahuaha

que coMédia de empregada,folgada.

haha.

Fernanda Perrú disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernanda Perrú disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
MH disse...

FERNANDA: Vixiiiiiiiiii, apaguei seus comentários sem querer. Que anta. hahahahah. Coloca de novo, please.

Rharry: A Da Guia é fogo. Ela escolhe o dia de ir, ela escolhe o que fazer, ela escolhe ate qto quer ganhar.
valeu pelos elogiosssssss

Slim: Valeu. Abração. Ah! A Da Guia mandou um abraço também (em vez de trabalhar ela fica me espiando no computador). hahahahaha

DM disse...

MH, nem me fale em empregadas ...A aqui de casa é meio parecida com a sua ... Me solidarizo com sua mulher .... É de perder o sono ...Um dia ainda escrevo sobre essas vacas-domésticas que acima de tudo ... São um mal necessário !!!

Hilária a história...

Fernanda Perrú disse...

meu comentário foi o seguinte:

Tá achando que nordestino se dobra...
hehehehe

eles envergam mas não quebram!

se vc deixar ela manda em vc!


sei muito disso!!!

Ciça disse...

Eu já li e gostei, mas tô sem inspiração para escrever, cachacei até as 4:00am ontem...foi punk! Fiz novos amigos...hahaha

Ovo disse...

Finalmente a dona Elane apareceu nesse blog! Já tava desconfiado que vc só escrevia essas coisas pra xavecar as gatinhas nos comentários...
Manda um beijo pra patroa!

MH disse...

DM: Meu, se você escrever um post sobre as Vacas-Domésticas, minha mulher coloca num quadro. Adorei a coisa do “mal necessário”. Rsrs

FERNANDA: Honestamente, a Da Guia já dominou a área faz tempo. Logo logo ela obriga eu e minha mulher a usar avental o dia inteiro. Aliás, deixa eu ia lavar a louça antes que ela volte.

CIÇA: sem comentários.

OVO: Oras, seu cabeça de pudim, nao fale que eu sou casado, óbvio que eu estou xavecando (brincadeirinha Lan, brincadeirinha…)

Vinícius R² disse...

Ei, eu não acho que você escreva só bobagens neste blog! Hehe...

O pusquê e o ponhá me fizeram rolar de rir aqui também. Rs.

Mas é como dizem: o português dela pode ser meio 'perturbado' mas é compreensível. Todo brasileiro dá um jeitinho de entender. Rs.

Bom texto!

Luca disse...

Ôxi. É expontâneo rir, pq se acha engraçado. Mas eu ri mas da resposta dela à tua esposa do que da forma de escrever.
(In) felizmente, é esse o nosso país.

Fláh disse...

Tadinho do meu palhaço.
hahaa

Tem medo? eu adoooro.
Depois leio o post sim. :)

haushuahsuasa.
Emprega nordestina é uma comedia.

Fabiana disse...

e a da guia tá certa, como vai saber q horas vcs vao chegar pra fazer o q ela nao teve tempo?

gente folgada, rs

bj

Rafael Filho disse...

hauahuahauhuahauhauhauha que empregada comédia!

luzdeluma disse...

Ah Você não conhece a "minha" Dª Rosa!

Ela gosta de me pentelhar.

Veja um fato:

Sempre que ela me apanhava subindo a escada, ela se queixava (isso quase todo dia)

«A paranóica, ou paralónica, ou parabónica, ou lá o que é, está outra vez avariada»

Eu dizia que era para ela me lembrar no outro dia pela manhã que aquela hora havia de esquecer, não dava para fazer nada.

Um dia não aguentei e interrompi:

«diz-se parabólica, Dª Rosa, e não está avariada, está mal sintonizada», para que ela parasse de dizer «A paranóica, ou paralónica, ou parabónica, ou lá o que é, está outra vez avariada.»

Ela agora diz:

«A parabólica está outra vez mal asontinada, ou santorizada, ou solorizada, ou lá o que é.»

...e eu não tenho mais do que mereço? Não é mais fácil falar o correto?

Parei de corrigir, pois acho que quer mesmo me pentelhar.

Beijus,

luzdeluma disse...

Aff! Isso ficou imenso! Me desculpe! Beijus