quinta-feira, 18 de outubro de 2007

JURASSIC PARK

Moro no último andar de um prédio.
E no meu quarto o teto é de gesso.
Chique, né?
Bom, sei que há uns 7 meses venho ouvindo uns passinhos sobre esse gesso.
No começo achei que era barata. Mas moro lá há uns 8 anos e nunca vi barata nenhuma. Aí pensei… “deve ser rato”…mas como um rato ia chegar lá no último andar?? Só se o bicho pegar o elevador. Mesmo assim aposto que ele não ia alcançar os botõezinhos…pelo menos o do último andar não.
Noves fora, resolvi ignorar o barulhinho.
O problema é que ontem eu estava deitado na cama vendo TV e de repente tive a impressão de ver dois olhinhos brilhantes me espiando. Achei que era minha mulher me olhando apaixonadamente…que bonitinha…..mas…péra aí…MINHA MULHER NAO ESTÁVA EM CASAAAAA!!!!!!!!
Acendi a luz correndo e tão logo o quarto se iluminou já me meti debaixo das cobertas para me proteger dos OLHOS FAMINTOS. Engraçado como desde criança a gente se protege debaixo do cobertor contra qualquer tipo de assombração. Até parece que aquele tecido velho e cheio de bolinhas vai impedir que o bicho papão crave seus dentes gulosos na perna gorduchinha de uma criança medrosa….MAS DANE-SE!! Eu tava com medo e me meti debaixo das cobertas mesmo e daí?
Com o coração na boca encarei o par de olhinhos.
Era uma lagartixa. Ela olhou pra mim…eu olhei pra ela…ela olhou pra mim…eu olhei pra ela….o pulmaozinho do anfíbio (ou será reptil?), arfando, mostrava que ela estava com medo de mim…meu rosto pálido denunciava que eu estava me borrando de medo. Ficamos os dois imóveis. Eramos inimigos declarados, mas nenhum dos dois ousava fazer qualquer movimento.
Nos olhamos por segundos que pare ceram uma eternidade.
Então o mundo inteiro ficou em câmera lenta (pelo menos foi o que pareceu para mim).
Num piscar de olhos arremessei o cobertor e dei um salto estilo Matrix pra fora da cama. A lagartixa saltou com habilidade de um trapezista do Cirque du Soleil e se lançou num vôo suicida para longe da parede. No mesmo instante em que rolei para fora do quarto com uma lagriminha brotando no canto dos meus olhos, vi a bichinha desaparecendo pelo buraquinho onde fica um spot de lâmpada dicróica que instalei no gesso (chique, né?)
Fiquei pelo menos uns 15 minutos deitado imovel no chão.
A boca mais seca do que lingua de gato.
Olha, essa noite deixei a luz acesa. E de uma coisa eu tenho certeza absoluta: nem eu nem a lagartixa dormimos até o raiar do dia.
E quer saber…algo me diz que essa batalha está apenas começando. Deus que me proteja.

3 comentários:

Gastón disse...

Caro MH, sua amiga foi lá fazer propaganda do seu novo blog no meu velho blog. Cara, em primeiro lugar, porque nós publicitários somos tão enjoados com nossos apartamentos? Forro de gesso, dicróica... você colocou pastilha em algum lugar também? Deixa pra lá. Alpinista essa lagartixa heim? E chique também resolveu morar acima da cobertura.

daniel disse...

Perna gordinha???

Simone disse...

Tsc, tsc... Melhor eu nem começar o meu comentário sobre o seu comportamento... Mas que você está colaborando com o meu bom humor, isso náo se discute. Eu náo consigo parar de rir ao imaginar essa cena patética: MH x lagartixa. Tô apostando nela! Bjo